São Harleys?

Este é realmente um ano de grandes mudanças, pois 2017 assim o obriga com a entrada em vigor da apertada norma Euro4. A Harley-Davidson não é excepção, e apresentou a sua resposta às novas exigências e tendências do mercado. A melhor palavra para descrever os novos modelos Touring 2017 da H-D é surpreendente!

Texto: Domingos Janeiro_Fotos: Joan Carles Orengo MOTOJORNAL_1393

Vivemos tempos de mudança, em que os novos modelos tendem mais a decepcionar do que propriamente surpreender, mas a marca americana é das que consegue surpreender. Foram muitos anos a ouvir e apontar as opiniões dos utilizadores, para melhorar num Futuro próximo, e esses tempos de mudança, começam agora. O motor, o novo Milwaukee-Eight, cujo desenvolvimento teve início a um par de anos, é o espelho dessa “revolução” e não poderia ter chegado em melhor altura. Para além de permitir à Harley-Davidson cumprir todas as novas exigências, permite igualmente melhorar, e muito, alguns dos problemas crónicos que os modelos americanos sempre apresentaram como as vibrações, calor e, claro, a potência, que foi aumentada e melhorada de forma notável! Outro dos pontos que mereceu grande atenção por parte dos engenheiros da casa de Milwaukee, foram as suspensões, que mesmo sem grandes implementações tecnológicas, estão francamente melhores. Com estes aspectos revistos, estamos perante as que serão, para muitos, as melhores Harley-Davidson de sempre!

No capítulo dos motores, que podem encontrar toda a informação ao pormenor na caixa, temos uma base, agora com oito válvulas (daí o nome Milwaukee-Eight), mas com capacidades distintas, o 107” que equipa toda a gama Touring e o “brutal” 114” aplicado nos modelos mais exclusivos, CVO. Ainda dentro de cada um dos blocos, temos os de refrigeração por líquido (nos modelos Ultra) e os restantes refrigerados por óleo. Resultado, mais potencia, menos emissões e mais conforto!

Road King

Dos quatro modelos que compõem a gama Touring 2017, este é o modelo mais simples, e um dos mais “míticos” da Harley-Davidson. Tudo é familiar, pois em termos dinâmicos e estruturais, nada foi alterado. No entanto, salta-nos de imediato à vista que a Road King está mais alegre e “despachada” que nunca, graças ao novo bloco, este dos “tais” refrigerados por óleo. Os baixos e médios regimes estão mais fortes, tornando-a mais fácil e interessante de conduzir. À semelhança dos restantes três modelos que aqui apresentamos, outra nota muito positiva vai para o comportamento das suspensões, mais firmes, que nos permitem rodar de forma mais rápida até em traçados mais revirados, sem que tenhamos os pousa-pés a tocar de imediato no solo.


Estes modelos Touring sempre assim foram, mas estão, francamente ainda melhores nesse aspecto. O conforto está lá, com menos vibrações e menos calor nas pernas, o que para muitos poderá perder um pouco do encanto das “velhinhas” H-D. Mas rodem uns bons quilómetros com esta nova Road King que rapidamente irão mudar de opinião! É incrível como a nível de vibrações baixou de forma considerável! A travagem, bem, esse eterno dilema, continua a não apresentar-se como uma referência, mas suficientemente forte e firme para travar os 376 kg em ordem de marcha. No entanto, como a suspensão foi melhorada, a frente já não tem tanta tendência a afundar em demasia. O peso pode parecer elevado, mas a verdade é que as manobras a baixa velocidade ou até mesmo com a moto parada não exigem um esforço sobre-humano, uma vez que é bastante equilibrada. O ecrã dianteiro (desmontável) é uma mais-valia. Este modelo encontra-se à venda a partir dos 25.200€

Street Glide Special

É um dos meus modelos favoritos! A simplicidade das linhas em nada “belisca” a estética e a presença impactante deste modelo. É um dos modelos que para além de ser “grande” não assusta os menos experientes, que procuram uma moto para gozar de umas belas viagens. Em termos de características-chave, é muito semelhante à Road King, com excepção da carenagem frontal. Carenagem esta, que resulta muito bem em termos estéticos, mas que na prática, é causadora de alguma turbulência para o nosso capacete, que, obviamente, aumenta consoante aumentamos a velocidade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Neste ponto, da aerodinâmica e estabilidade, é mesmo a menos aliciante da gama que aqui apresentamos! No entanto, com a introdução do novo motor (este também refrigerado por óleo) e das novas suspensões, tornou-se ainda mais deliciosa de conduzir, fazendo destacar uma vez mais a alegria do bloco e o conforto geral, que melhorou substancialmente e no qual, as suspensões (forquilha dianteira e amortecedores traseiros com regulação da pré-carga da mola) têm um desempenho fundamental. A outra grande diferença para a “pequena” Road King é o sistema de entretenimento com rádio, ligação via Bluetooth, navegação, ligação do telemóvel e USB. No painel de instrumentos, podemos agora ver em toda a gama Touring a informação da pressão dos pneus, detalhe que mais tarde ou mais cedo, será uma realidade em practicamente todos os modelos da H-D. O valor de mercado para a Street Glide Special situa-se a partir dos 27.700€.

Road Glide Ultra

Já nos posicionamos muito perto do todo de gama da gama Touring da marca americana. Esta Road Glide Ultra é um modelo que nos permite dar a volta ao mundo, várias vezes! O conforto é, e sempre foi, um dos seus grandes trunfos, e que neste modelo de 2017, está, surpreendentemente ainda melhor. E a culpa é de quem? Exacto! Do novo motor, este com refrigeração líquida e, claro, das novas suspensões. O seu tamanho impressiona, intimida mesmo, mas quando arrancamos, esquecemos tudo e só nos apetece desfrutar de quilómetros e quilómetros de estrada sem fim, não dispensando as curvas, onde nos surpreende pela eficácia, facilidade e segurança com que nos permite curvar, parece um paradoxo mas é verdade, quanto maiores são as Harley’s, melhor curvam, e uma vez mais, sem raspar as plataformas dos pés (pelo menos não com tanta facilidade como outros modelos, com as Ultras só tocamos no solo se a levarmos mesmo aos limites, pois em circunstâncias e condução normal, não tocamos no alcatrão).

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

O assento é ultra confortável e o espaço para os passageiros é fantástico disponibilizando uma autêntica poltrona. Em termos de informação e entretenimento, este é um dos modelos em que podemos encontrar tudo a que temos direito (GPS, áudio, rádio, ligação via Bluetooth, USB). O desenho da carenagem frontal é o elemento diferenciador da Ultra Limited, que falaremos a seguir. A protecção aerodinâmica funciona e a correcta e elevada colocação do guiador torna tudo mais fácil e confortável. A travagem requer a aplicação de alguma força, assim como a manete da embraiagem (deslizante em todos os modelos da gama touring 2017). Apenas faz notar os seus generosos 425 kg em ordem de marcha em manobras a baixa velocidade ou com a moto parada. No entanto, o grande raio de viragem da direcção minimiza sustos, facilitando e muito essas manobras. Quanto ao valor da Harley-Davidson Fat Road Glide Ultra, este situa-se a partir dos 29.600€.

Ultra Limited

Chegámos ao topo da cadeia evolutiva da gama Harley-Davidson. A Ultra Limited é um daqueles modelos em que podemos dizer que “tem tudo mais um par de botas”. O novo motor com oito válvulas, de refrigeração líquida assenta-lhe como uma luva. Torna este modelo ainda mais perto da perfeição ao eliminar grande parte das vibrações que afectavam o conjunto. O calor que saía do motor e que incomodava os utilizadores foi reduzido ao mínimo e agora, mesmo nos dias mais quentes, a rodar dentro das cidades, não sentimos practicamente o calor do motor. É o modelo mais completo em termos de gadgets e sistema de entretenimento, tanto para condutor como passageiro, com punhos e assentos aquecidos. Mas isso já estávamos habituados, o que não era hábito era a resposta “vivaça” do motor às solicitações do punho de acelerador.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A resposta é quase imediata, as recuperações determinadas e mesmo em mudanças altas a rotações baixas, é muito difícil notarmos o motor bater. Uma diferença gigantesca! Devido ao seu peso (413 kg em ordem de marcha), as suspensões nunca primaram pela eficácia, facto que também podemos notar grandes diferenças e melhorias, através do novo sistema de dupla válvula na forquilha convencional dianteira e através da regulação da pré-carga da mola dos amortecedores traseiros, de acesso muito fácil, bastando retirar as malas. Uma vez mais, em andamento o peso não se faz notar, é um modelo que transmite muita segurança e confiança mesmo em estradas de montanha. O espaço destinado aos passageiros é simplesmente um luxo! Por fim, resta adiantar que o luxo tem naturalmente o seu custo, neste caso um pouco acima dos 30.000€.

Novas suspensões

As suspensões eram outro “calcanhar de Aquiles” nestes modelos, mas para 2017 as diferenças são bem notórias, para melhor, claro. Tanto a forquilha convencional como os dois amortecedores traseiros são da Showa, com a forquilha a passar a ter duas válvulas em vez de apenas uma, uma para a compressão e outra para a extensão. Nos amortecedores traseiros, temos a possibilidade de ajustar a pré-carga da mola (que nos permite apenas ajustar a altura), não tornando a suspensão mais dura.

Campanha Demo Ride

Para marcar esta nova era da Harley-Davidson, na campanha Demo Ride, que já está a decorrer nos concessionários oficiais da marca em Portugal (Porto, Lisboa e Faro) e que pretende oferecer 100 pins comemorativos (com o desenho do novo motor) aos primeiros 100 clientes que façam o test-drive a um destes novos modelos Touring. Para fazer a sua reserva ou ver os detalhes técnicos das motos aqui apresentadas, pode entrar no site www.harley-davidson.pt.

Milwaukee-Eight

Desde alguns anos a esta parte, que os engenheiros da Harley-Davidson trabalham num novo motor que conseguisse, por um lado, oferecer mais potência e melhor desempenho e, por outro, resolver algumas questões crónicas, apontadas pelos utilizadores como nocivas. Dessas “queixas”, faziam parte as eternas vibrações e o excessivo calor proveniente do motor e dos colectores de escape, que ficam bem perto das pernas. Assim, e como resposta a tudo isso e também para cumprir as restrições impostas para 2017, a marca americana apresentou esta solução, que é mais um trunfo. O novo Milwaukee-Eight, disponível com 107” e 114” (este último apenas disponível nas mais exclusivas CVO) apresenta-se como uma nova experiência e dimensão, aplicado agora aos modelos maiores, as Touring. Dentro do bloco de 107” existem dois blocos refrigerados por óleo, montado na Road King e na Street Glide Special e dois refrigerados por líquido, que equipam as Road Glide Ultra e a Ultra Limited. Este bloco, totalmente novo, viu a sua cilindrada aumentar para os 1745 cc, com uma árvore de cames, quatro válvulas por cilindro, duas velas por cilindro e maior capacidade de entrada de ar, tudo isto para cumprir a norma Euro4. O motor de arranque é mais potente, o binário foi aumentado e o consumo reduzido. Este novo bloco foi pensado para reduzir as fontes de calor assim como a redução das vibrações. O novo desenho do V-Twin permite também ganhar espaço entre o quadro, permitindo igualmente maior facilidade na hora de efectuarmos a manutenção. A embraiagem é deslizante para menos esforço e menor efeito de travão motor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here