Dakar 2018: olhos postos em Fausto Mota

Depois das esperanças dos pilotos portugueses irem sendo aos poucos defraudadas, os olhos nacionais centram-se agora em exclusivo para a prestação de Fausto Mota aos comandos de uma Alfer PKL 450. Mas do que será capaz o piloto de Marcos de Canaveses?

Depois das principais promessas terem sido obrigadas a abandonar esta edição do Dakar, eis que a imprensa nacional e os adeptos das motos de competição voltam as suas esperanças para Fausto Mota. Nascido em Setembro de 1977, não se pode dizer que o seu palmarés seja o de um piloto amador. Muito pelo contrário. Com uma forte ligação à vizinha Espanha(onde para além de residir, está federado, Fausto Mota foi Campeão de Espanha de Motorally no ano de 2007. Mais tarde, por entre presenças em raids e outras aventuras no todo-o-terreno, o piloto nascido em Portugal, classificou-se na 3ª posição do Red Bull Romaniacs Expert em 2012. No ano seguinte, seguiu-se o título de Campeão no Rally dos Sertões, na Classe Super Produção e 7º da Geral, para em 2015 sagrar-se Campeão Português em Rally TT.

O ano passado terminou o Dakar na 49ª posição, isto depois de se ter estreado na prova em 2011, altura que concluiu no 54º posto.

Para 2018, naturalmente que as suas perspectivas de um bom resultado surgem de forma quase natural, já que segundo o próprio revela as dunas não me assustam. Para já, terminou a 1ª etapa na 56ª posição e a 2ª no 72º lugar, o que o atirou provisoriamente para o 62º posto. No entanto, tudo ainda está no início deste Dakar…

Como vai a classificação

Entretanto, lá na frente a luta pelas posições cimeiras continua, agora que estão já cumpridas as duas primeiras etapa do Dakar. Na liderança Joan Barreda em Honda CRF450 dá o mote, com a marca nipónica a colocar – até agora – três das suas motos no top ten. O espanhol revelou no final da etapa de ontem que foi “uma dura etapa com alguma confusão no início, quando nos temos que manter a nossa concentração. Saltei uma duna e caí sobre a minha mão e senti o resultado nos quilómetros seguintes. A parte final foi bastante rápida e consegui alguma margem e no final deu resultado. Amanhã teremos que [NDR: ser os pilotos das motos] a abrir a pista e tudo voltará a mudar novamente, mas sempre soubemos que assim seria e vamos tentar fazer o nosso melhor”.

 

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.