A Moteo Portugal, Importador da Suzuki para o nosso país, anunciou recentemente dois nomes de peso para a sua estrutura desportiva em 2017. Assim, no nacional de MX, nas classes MX1 e Elite, estará Luís Correia, que regressa à Suzuki, marca que já havia representado há uns anos atrás, inserido na estrutura GugaMX.

Por outro lado, e com vista a atacar o título no nacional de enduro, junta-se agora à Suzuki André Martins, o jovem de Águeda que actualmente é uma das grandes promessas do pelotão do campeonato nacional da especialidade.

Luís Correia
«É o abraçar de um projecto novo, muito ambicioso, e que marca também o meu regresso ao motocross e a Portugal a tempo inteiro. Em causa está a discussão dos títulos de MX1 e Elite, uma tarefa difícil mas também um desafio acrescido pelo facto de estarem na posse da mesma pessoa desde há algum tempo. Destronar quem está no topo é sempre muito complicado e apesar de haver bastante experiência da minha parte, não será fácil pois não estou nesta modalidade há quatro anos, mas vamos fazer todos os possíveis para que isso se concretize.
Em paralelo, iremos também iniciar um projecto nos ralies e se bem que este esteja ainda numa fase embrionária, tentaremos representar a Suzuki da melhor maneira também nesta modalidade. A participação no nacional de motocross acaba por ser também uma boa forma de preparar esta segunda vertente do envolvimento desportivo com a marca.
É algo que tenho vindo a alimentar desde há algum tempo e não escondo que é um ‘bichinho’ que tem crescido. Para mim o regresso à Suzuki é como que um ‘déjà vu’, pois corri com esta marca em 2008 e tive uma excelente experiência no mundial. É uma moto bastante equilibrada, com uma ciclística que transmite boas sensações e onde ‘encaixo’ muito bem. A moto é estável e possui um motor bastante interessante em baixos e médios regimes. Naturalmente será necessário proceder a algumas afinações para a adaptar ao meu estilo de pilotagem, mas estou muito satisfeito com a base de trabalho.»

André Martins
«Espero fazer uma boa temporada de enduro, sem lesões e tentando lutar pelas posições cimeiras na classe Enduro 1, procurando também realizar boas presenças nas provas internacionais em que tenho previsto participar, no europeu e no mundial.
Naturalmente, espero também dar nas vistas perante a federação, pois um dos meus grandes sonhos é fazer parte da selecção nacional nos seis dias.
Relativamente à nova moto, já rodei durante algumas horas e as primeiras impressões são muito positivas, pois a ciclística é muito equilibrada e eficiente, acompanhada por um motor fácil de utilizar mas bastante competitivo em que não será necessário fazer muito trabalho de desenvolvimento, tanto para o motocross, onde irei participar em algumas provas como forma de treino, como para o enduro, o principal objectivo da temporada.»

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here