A SCVouga acaba de apresentar as novas sondas Lambda, da NGK. Quando o combustível é queimado na câmara de combustão de um motor, além de produtos inofensivos como água, dióxido de carbono e nitrogénio, também são libertados compostos nocivos como monóxido de carbono, óxidos de azoto e hidrocarbonetos.

No entanto, desde há muitos anos que se têm vindo a fazer alterações para reduzir significativamente as emissões através de catalisadores por exemplo. Os sensores lambda desempenham um papel importante no sentido de permitir que o catalisador cumpra esta tarefa.

Desde 1990 que existem limites de emissões para motociclos. Por conseguinte, os catalisadores estão a ser instalados como equipamento original por muitos fabricantes mesmo para máquinas com pouca cilindrada.

A NGK desenvolveu o sensor lambda especial OZAS-S3. O seu elemento de sensor de dióxido de zircónio é especialmente resistente a altas temperaturas, permitindo que o sensor fique instalado perto do motor, mesmo dentro da própria cabeça do cilindro. Este local de instalação permite que o sensor alcance as temperaturas de funcionamento necessárias de forma muito rápida e uniforme sem um aquecedor.

A vantagem? O sensor é particularmente compacto e leve. Além disso, um sistema de controlo simples pode ser aplicado e o cabo é “conectado” ao sensor de uma forma similar a uma vela de ignição.

Mais informações através do e-mail comercial@scvouga.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here