A última viagem de Paulo Gonçalves

Centenas de motociclistas em cortejo emocionante levaram o Herói à sua Esposende natal.

Funeral Paulo Gonçalves

Do céu, carregado, de um cinzento tristonho, caíram uns chuviscos esparsos como se, respeitosamente e sem grande alarde, chorasse a morte do Campeão. Gotas que não intimidaram a caravana, antes ajudaram a disfarçar as lágrimas que teimavam em escorrer pela face das centenas de motociclistas que o escoltaram na última viagem desde o Aeroporto do Porto. Mas também dos milhares de cidadãos anónimos que o esperavam em Esposende.

Momentos de consternação, em sentimento por todos comungado, na passagem pela cidade que sempre promoveu e defendeu em todo o Mundo com um sentido minuto de silêncio seguido de aplausos. Muitos e fortes aplausos como os que sempre são devidos aos grandes Campeões.

A coluna de motociclistas, de centenas à partida do aeroporto onde aterrou o voo que o trouxe da Arábia Saudita via Istambul, foi crescendo durante a derradeira viagem pela A28, a mesma que cumpriu tantas e tantas vezes quando regressava de mais um combate, de mais uma prova algures por esse Mundo fora. Como as viagens que fez quando foi campeão do Mundo de Rali-Raides, em 2013, ou quando obteve brilhante 2.º posto no Dakar, em 2015. Mas também nos momentos mais difíceis, quando a família e os amigos o recebiam com as lesões causadas pela ardente paixão pelo motociclismo e pelas corridas. Momentos na vida de um campeão recordados nas tarjas colocadas nos viadutos sob os quais passou o cortejo fúnebre, mas também nos painéis publicitários em Esposende. Onde o ligeiro murmurar que se ouviu durante toda a manhã, acompanhando as notícias pelos vários canais de televisão que transmitiram em direto a trasladação, se transformou num silêncio quase constrangedor à chegada do valoroso esposendense.

Aqui e ali entrecortado por palmas, as mesmas palmas com que o Povo sempre aplaudiu o seu Herói.E que, frente ao edifício da autarquia, em dia decretado de luto municipal, se transformou num minuto de silêncio, antecipando uma derradeira ovação popular antes de rumar a Gemeses.

 

Palmas mais que merecidas para Paulo Gonçalves, envolvidas num sentido obrigado de muitos para aquele que fez vibrar tantos.

Obrigado Speedy!

Este slideshow necessita de JavaScript.