Contacto Honda CRF 1100L Africa Twin/Adventure Sports

A Honda prometeu uma Africa Twin mais potente, mais leve, tão ou mais equilibrada que antes. E prometeu também uma versão carregada de electrónica, nas suspensões e no especial painel digital táctil. Duas novas Africa Twin ajustadas ao actual e exigente mercado das maxi-trail. Prometeu e cumpriu. E de que forma…

Texto Rui Marcelo • Fotos Honda Motor Europe –

Back
Próximo

Gerir suspensões

O painel táctil – primeiro numa trail – é fantástico de utilizar, muito completo, super legível, intuitivo. E a funcionalidade Apple, permite ligá-lo com a maior facilidade a um telefone iPhone, disponibilizando-nos um dos melhores sistemas de GPS. Críticas vão apenas para o punho esquerdo e os botões de comando das funções. São 16 no total e não têm o tamanho e distribuição devidos, podendo complicar o uso especialmente com luvas de inverno, grossas.

As suspensões electrónicas tornam a condução mais requintada e eficaz, mas garantem sobretudo um ajuste do amortecimento – sempre firme e eficaz mesmo em fora de estrada – imediato e simples, sobretudo quando se viaja com mais carga a bordo. Da travagem nada a dizer, formidável e tão segura que é, além de ter um tacto tipicamente Honda, fantástico! Na realidade nota-se sobretudo nesta “grande” Adventure Sports que há agora uma vantagem inequívoca pela menor altura do assento ao solo e menor largura deste. A moto que antes era mais difícil de manobrar em parado e que nos incutia algum respeito pelo peso, mudou muito para melhor.

O contorno do assento permite chegar quase com os dois pés ao solo, e o peso mais reduzido e de novo bem distribuído, torna tudo fácil e isso irá atrair mais gente, mesmo quem não necessite de uma moto com um depósito tão grande para uso diário.

A posição de condução é excelente, sempre, sentados e mesmo em pé e o acesso à moto mesmo com malas, muito fácil. A versão com caixa DCT volta a ser uma exclusiva e muito interessante forma de usar uma moto. A gestão que faz do motor é feita ao nosso gosto através dos modos de utilização, e de facto o DCT está mais rápido ainda nas passagens de caixa, requerendo como sempre hábito de uso.

Depois disso, será fácil reconhecer que em muitas situações, ganhamos mais com este sistema montado na rediz e comodidade de uso, facto provado pela crescente percentagem de vendas de motos com ele incluindo, já mais de 43% das unidades totais.

Back
Próximo