Fausto Mota completou ontem a primeira especial do 15º Red Bull Romaniacs com um lugar no TOP 10, ao conquistar a oitava posição da categoria Bronze.

O piloto de Marco de Canaveses que havia concluido o prólogo, desta que é a quarta ronda do World Enduro Super Series, em 40.º lugar, optando por não arriscar, demonstrou um andamento notável ao concluir em 9h56m49s aquele que é considerado o mais exigente setor seletivo (de 146 km) ao nível da resistência, tendo subido 32 posições face ao dia anterior.

Na dura etapa que liga Sibiu a Straja, onde os pilotos pernoitaram, o piloto inscrito com o número 455, entrou ao ataque, aos comandos de uma Tamega, demonstrando um andamento vivo e consistente que lhe permitiu ascender na classificação da sua categoria. A exigência da competição aliada às condições do troço, que se encontrava molhado não facilitaram, mas o maior handicap registou-se a 20 km do final, quando o piloto ficou sem água para beber.

“Foi uma especial sem percalços ao nível do andamento, foi sempre a rolar, mas muito cansativo. Passámos muitas horas em cima da mota e com mais de uma centena de quilómetros para fazer, num piso que se encontrava muito molhado, o que veio dificultar. Depois, já perto do final, fiquei sem água para beber e, para mim, essa foi a situação mais difícil de ultrapassar. Querer manter-se em cima da mota, mas sentir o corpo a querer ceder. Há que seguir até ao final e ser persistente. Acabei em oitavo. Estou bastante satisfeito, mas ainda faltam três dias de competição”, revela Fausto Mota à chegada da primeira especial desta competição que cruza o ambiente dos Cárpatos.

Hoje cumpre-se uma etapa de 106 km que se inicia e termina em Straja, onde os pilotos vão pernoitar mais uma noite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here