Foi na última Assembleia Geral da Federação de Motociclismo de Portugal, realizada em final de Dezembro passado, que aquele que é considerado como um dos mais completos pilotos nacionais em termos de velocidade, recebeu a Medalha de Mérito Desportivo.

Felisberto Teixeira, nascido em Paris a 16 de Maio de 1970, teve uma carreira recheada de momentos altos. Iniciou-se na competição em 1981 com uma Yamaha 350 RD LC no Troféu Yamaha Gauloise, onde apesar de ter registado sete arranques e sete quedas, nem por isso o seu moral o arrecadou das pistas francesas. No ano seguinte passou a correr com a 125 RDX no mesmo troféu, onde marcou os seus primeiros pontos. Isto depois de ter experimentado a moto no traçado de La Sarthe, em Le Mans.

Por entre fins-de-semana “mais ou menos parados”, ainda conseguiu arranjar tempo para alinhar no Troféu Kawasaki com motos de 250cc. Com corridas bastante disputadas do principio ao fim – havia cerca de 40 pilotos em cada grelha de partida, o piloto foi amadurecendo os seus conhecimentos técnicos, bem como a sua condução. Depois vieram as corridas com motos de maior cilindrada e claro, o reconhecimento do seu verdadeiro mérito. Quem não se recorda das suas vitórias aos comandos das Suzuki oficiais em território nacional, bem como ter sido o primeiro e único piloto a competir no Campeonato do Mundo de Velocidade, quando em 1998 alinhou com uma Honda V2 no Grande Prémio de Espanha, realizado em Jerez de la Frontera?

Após um ano da sua participação no Mundial de Supersport, voltou às pistas do Mundial, quando disputou o GP de Portugal com uma Yamaha TZ250, da equipa Luis D’Antin. Será precisamente com uma TZ250 que o piloto de Vila Meã poderá regressar à competição, num evento ainda a anunciar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here