Quanto renderam os novos radares de Lisboa em junho?

A nova geração de radares fixos instalados em Lisboa já está a render milhões em multas. Saiba aqui quanto ganha a Câmara Municipal de Lisboa com as multas!

A revista MotoJornal já aqui lhe tinha avisado que a 1 de junho de 2022 a Câmara Municipal de Lisboa passava a ter à sua disposição uma série de novos radares de controlo de velocidade nas ruas da capital portuguesa.

Esta nova geração de radares de controlo de velocidade espalhados por diversos locais de Lisboa prometem ser uma fonte importante de receita para a CML, para além da sua função principal de prevenção rodoviária, levando os condutores a reduzir a velocidade. Um conceito que tem as suas fragilidades, mas que para os especialistas como a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária – ANSR, apresenta mais benefícios do que prejuízos.

Agora que passou mais de um mês desde a entrada em funcionamento dos novos radares lisboetas, começamos a ficar com uma melhor ideia do que resulta da sua utilização. E o mais relevante acaba por ser, como se esperava, a receita que entra nos cofres da CML devido às multas aplicadas aos condutores.

Leia também – Radares anti telemóvel: São estes que fazem falta em Portugal?

radaresDe acordo com a Câmara Municipal de Lisboa, liderada pelo presidente Carlos Moedas, no período de 1 a 30 de junho, os novos radares registaram nada menos do que 38.018 infrações aos limites de velocidade impostos pelo Código da Estrada para as diferentes vias rodoviárias da capital.

Deste total de infrações verificamos que 34.745 foram infrações graves, enquanto 3.246 foram muito graves.

As multas associadas a estas contraordenações de velocidade começam nos 120 euros e podem chegar aos 1500 euros. Convém também realçar que, para além da multa monetária, existe ainda a sanção acessória de inibição de conduzir que varia de um mês a dois anos. E ainda não podemos esquecer que no caso das graves o condutor perde dois pontos na Carta de Condução, e nas muito graves são quatro pontos perdidos!

Quantos milhões de euros foram “amealhados” pelos radares de Lisboa?

As contas não são difíceis de fazer. Se partirmos do valor mínimo para cada tipo de contraordenação – 120 euros para graves e 300 euros para muito graves – verificamos que entraram nos cofres da Câmara Municipal de Lisboa nada menos do que 4.169.400 euros respeitantes às infrações graves, enquanto no caso das muito graves o valor é de 973.800 euros.

Tudo somado, temos então um total de mais de 5.1 milhões de euros em multas de velocidade… num único mês!

radaresNeste particular convém ainda destacar duas situações que podem ter influência no valor total deste primeiro mês de funcionamento dos novos radares em Lisboa: de acordo com a CML, algumas infrações (o número exato não foi divulgado) são relativas a veículos de emergência médica ou forças policiais, pelo que poderão ser “anuladas”, e por outro lado nem todas as infrações graves ou muito graves estarão associadas ao valor mínimo da multa.

Por isso os radares de velocidade em Lisboa até podem ter garantido para a CML um valor bem superior ao que referimos!

Nesta primeira análise ao primeiro mês de funcionamento dos radares lisboetas de nova geração, com uma tecnologia mais avançada na deteção de infrações, destacamos também que a velocidade máxima detetada pelos radares foi de 240 km/h, no radar posicionado na Segunda Circular no sentido Aeroporto-Benfica.

E onde estão localizados os radares “campeões de multas”?

São três as avenidas campeãs no registo de excesso de velocidade: Avenida Lusíada, junto a Benfica, Avenida Padre Cruz, junto à Calçada de Carriche, e ainda na Avenida Infante Dom Henrique, a maior avenida de Lisboa, que fica junto ao Parque das Nações.

Estes três radares fazem parte de um total de 41 radares de nova geração que vão ficar a funcionar na sua totalidade até final de 2022.

Na primeira fase que começou a 1 de junho, os radares que estão a funcionar encontram-se nas seguintes localizações:

Avenida da Índia, Avenida de Brasília, Avenida Infante D. Henrique (dois sentidos), Avenida de Ceuta (dois sentidos), Avenida General Correia Barreto (dois sentidos), Avenida Marechal António Spínola (dois sentidos), Avenida Marechal Gomes da Costa, Avenida Almirante Gago Coutinho, Avenida Eusébio da Silva Ferreira, Avenida da República, Campo Grande, Avenida Cidade do Porto, Avenida João XXI, Avenida Afonso Costa, Túnel Marquês de Pombal, Avenida Marechal Craveiro Lopes e Avenida das Descobertas.

Até final do ano 2022 entram em funcionamento mais radares, nas seguintes localizações:

Avenida Santos e Castro (dois sentidos), Avenida Lusíada (dois sentidos), Avenida Eusébio da Silva Ferreira, Avenida Padre Cruz (dois sentidos), Avenida Marechal Gomes da Costa, Avenida de Brasília, Avenida Infante D. Henrique (dois sentidos), Avenida Dr. Alfredo Bensaúde (dois sentidos), Avenida Almirante Gago Coutinho, Avenida de Ceuta, Avenida Calouste Gulbenkian, Avenida Marechal Craveiro Lopes (dois sentidos) e Avenida dos Combatentes (dois sentidos).

Quer saber exatamente onde se encontram posicionados os radares fixos de controlo de velocidade em Lisboa? Só tem de clicar aqui!

Recordamos que estes mecanismos de prevenção rodoviária estão, obrigatoriamente, assinalados antecipadamente com sinalização específica que avisa os condutores que no seu caminho vão passar por um radar de controlo de velocidade.