Já usávamos uma versão anterior do equipamento Atlas da Drenaline – conjunto blusão e calças Atlas 2 – e sobre o qual só podíamos tecer elogios, por isso foi com alguma expectativa que começámos a usar esta evolução apresentada em 2016, o Atlas 3. PVP: 393,60

MOTOJORNAL_1400

Este equipamento é fabricado em Cordura e pele, e com protecções em todos os pontos essenciais: costas, ombros, cotovelos, joelhos e ancas. É um equipamento essencialmente touring de aventura, mas versátil o suficiente para ser usado nas mais diversas situações, incluíndo no dia-a-dia. O blusão é composto por duas peças, o blusão propriamente dito e um forro interior ‘softshell’, destacável e com membrana eyedry impermeável e respirável, que tem outra grande vantagem para além da maior protecção contra o mau tempo: pode ser usado em separado.

Mantendo um corte semelhante à versão anterior, o Atlas 3 é esteticamente diferente, devido às inserções em pele castanha, e só depois de o começarmos a usar vamos notando as alterações de natureza prática. Uma dessas maiores diferenças é o sistema de refrigeração em dias mais quentes. No Atlas 2 existem dois fechos horizontais à altura do peito que quando abertos permitem a entrada de ar, evacuado depois por um fecho, também horizontal, nas costas e mais dois, mais pequenos, verticais. Para o Atlas 3 a Drenaline decidiu maximizar o fluxo de ar e agora há dois paineis no peito que se abrem através de dois fechos, deixando duas autênticas janelas de rede escancaradas para a entrada de ar – mas que podem, se o calor não for assim tanto, ser apenas parcialmente abertas. Para a saída do ar há um painel que ocupa quase toda a área das costas que também pode ser parcial ou totalmente aberto, através de dois fechos verticais, maximizando o fluxo (o painel traseiro tem uma saída para o tubo de água se aí quisermos transportar um ‘camelbak’). O sistema funciona muito bem, e permite-nos manter o corpo numa temperatura aceitável no Verão, sem perdermos em protecção. Também nos braços existem fechos que permitem a entrada de ar. Quando devidamente fechados, os paineis não permitem a entrada de ar e, em conjunto com o forro interior, a protecção contra o frio do Inverno também é eficaz. 

Com estes paineis frontais, o Atlas 3 trocou dois bolsos de fecho vertical no peito – que no Atlas 2 também serviam para deixar entrar ar quando abertos – por outros dois, de mais pequenas dimensões e de fecho horizontal. Para além destes existem ainda dois grandes bolsos laterais, com fecho eclair e com as molas magnéticas, como já existiam no Atlas 2, e que merecem elogios: são muito práticos e fáceis de manusear, mesmo com luvas; aliás, esta característica é comum a todos os fechos do Atlas 3. Há ainda três bolsos interiores – um deles desenhado para o telemóvel – e outro, pequeno, no braço esquerdo. No fundo das costas mantém-se um largo bolso, agora mais fácil de usar, porque em vez do fecho horizontal em cima, com uma aba com molas magnéticas como existe no Atlas 2, tem dois fechos verticais, um de cada lado, permitindo usar esse bolso sem ter que despir o blusão.

O blusão Atlas 3 tem ajustes na cintura, pescoço, pulsos, braços e ante-braços, este agora em velcro em vez de molas. A gola antes era fechada com uma mola de pressão e outra magnética, mas agora é uma mola de encaixe deslizante. Preferíamos a solução anterior.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here