Crónica João Pais #26

João Pais, coronista

Vamos lá então …

Está na hora de desconfinar, como diz o povo agora ou vai ou racha.
Ou começa o Mundial em breve ou… Não há calendário que lhes valha.
Seja em Espanha, mais Espanha, mais Espanha e outros poucos países que a gente não se importa nem um pedacinho.
O que queremos são respostas às nossas dúvidas existenciais e metódicas.
A saber:
Irá MM ser o de sempre e arrasar?
Bem possível, o pequeno enorme piloto lida bem com situações novas e de pressão alta, coelhos da cartola saca ele com regularidade.
E elas vão chegar, as situações.
O tempo para aprender a estratégia é pouco, para errar e recuperar é muito pouco.
Quem se lhe colocará de peito feito pela frente?
Quartararo, que talvez tenha perdido um pouco do balanço que trazia?
Rossi, que pensávamos preparar o ano de despedida num 2021 onde certamente iniciaria a fase dois de um GOAT que se quererá perpetuar enquanto dono de equipa, mas que vai dizendo, olhem que não, olhem que não, Petronas não será para depois apagar a luz… será mesmo que não Valentino??
Morbidelli, ali por entre o parceiro de equipa que vem arrasando e o resto do pessoal que cada vez mais perde menos tempo, que nos reservará o ítalo-brasileiro?
Rins, será ele, será Mir, a consolidar uma Suzuki de garras cada vez mais afiadas?
Dovi e Danilo, é hora ou … poderá a Ducati esperar por novo Cavaleiro Andante? … e eles espreitam na Moto2!
Vinãles, porque esperas?
Jack Miller, no ano da afirmação?
Pecco no da remissão?
Cal e Nakagami, vai ou nem racham? Um que fala muito, outro que fala pouco, ambos sendo certinhos na entrega de talento.
Curiosíssimo em relação à Avintia, chegará milagre de um Zarco que teima em manter o desequilíbrio naqueles degraus mais altos?
Na oficial Honda, conseguirá o mano Alex descodificar o ADN de um campeão de raríssimas intuições para o métier?… ou será apenas mais um… e isso, senhores, parece o mais palpitado por todos…
Aprilia com um Aleix que ora sobe, ora desce, ora nem uma coisa nem outra, sem Andrea que disparatadamente viu manchada sua carreira… por onde andará a equipa este ano … TOP 10?… ou as coisas apertarão e talvez nem isso?
E eis-nos chegados a casa.
KTM, onde mora o Falcão.
Venham motos iguais entre ele e Pol e… todos tirarão teimas.
Todos ganharão com isso, Pol empurrado por uma competição dura e saudável, Miguel com tudo para de novo mostrar ao mundo o seu Hawk mode attack, Brad a ver em sua sebenta as tabuadas aprendidas num clique, trazidas pelo génio de dois predestinados, Espargaro e Oliveira, Iker, que sem saber ainda bem como viu lhe caírem ao colo três dádivas dos céus. Entrar no MotoGP, trabalhar com a estrutura Tech3, absorver de MO88 a matemática de sensibilidades que levam a azulinha alaranjada a voar.

Venha então o primeiro GP, já o disse e repito, teorias da conspiração à parte, creio que a DORNA quer é ver terminado o pesadelo de todo este impasse no Mundial, se tivesse de ser fá-lo-iam num qualquer Jardim Municipal, o que não pode esperar mesmo mais é todo um mundo de dinheiros que sustentam a coisa, de pilotos que não podem esperar mais, de equipas com tudo parado em torno da encruzilhada… investe-se e mantém-se ou é hora de retrair?

E verdade seja dita, para quem em Fevereiro já rezava pelo pêlo de tão ingrato e longo interregno, quem ousaria alvitrar que a meio de Maio ainda não teríamos tido um daqueles fins-de-semana em que ao olhar a tabela dos tempos definiríamos um sorriso ou a tarde meio estragada, consoante voasse certeiro o Falcão ou, ao invés, tivesse a coisa corrido menos lesta?

Posto isto, resta-nos pois desejar que se acenda o semáforo com as luzes encarnadas que se irão apagar….

Como diz o Fausto .. .BRRRAAPPPPPPPP