CNV Moto: Portimão recebeu segunda etapa

Depois do arranque no Estoril, o CNV Moto desceu no passado fim-de-semana ao traçado do Autódromo do Algarve para mais um animado fim-de-semana de corridas.

Duas semanas depois do Estoril, o CNV desceu até à ‘montanha russa’ no Algarve para cumprir a segunda prova da temporada. Uma primeira visita ao asfalto que vai receber o mundial Superbike no início de Agosto e onde estiveram 78 pilotos presentes.

Após um dia de sexta-feira, onde pela segunda vez todos tiveram pista aberta para treinar, Sábado e Domingo foram os dias reservados a treinos e corridas. Mais rápido nos treinos cronometrados, Ivo Lopes colocou-se pela primeira vez na ‘pole-position’ em 2020. Apostado em esquecer a queda e o atraso pontual depois do primeiro confronto do ano, foi o único a conseguir rodar no segundo 46, deixando Pedro Nuno na segunda posição e Tiago Magalhães em terceiro.

Com 14 pilotos em pista, foi sentida a ausência de Miguel Oliveira, vencedor de ambas as corridas no arranque do campeonato no Estoril, mantendo-se igualmente fora das pista Rui Marto e a sua equipa, que deverão estar de volta na terceira prova do campeonato a realizar no Estoril no mês de Julho.

SBK e SSTK600

Na primeira corrida da classe maior do campeonato, Ivo Lopes não foi o melhor no momento do arranque, mas cedo emergiu na primeira posição para liderar até à bandeira de xadrêz, face a Pedro Nuno e Tiago Magalhães. Lopes entrou a ‘matar’ e assinou mesmo a melhor volta de corrida, logo na segunda volta, tendo Pedro Nuno conseguido a sua melhor passagem na quinta volta, ele que fechou a corrida a pouco mais de sete segundos de Lopes e isolado face a Tiago Magalhães. Tiago Cleto e Romeu Leite fecharam o lote dos cinco primeiros, num pelotão que ficou sem André Pires depois de uma queda sofrida pelo piloto transmontano na segunda volta. Dani Trelles foi o melhor nas Superstock 600 face a Jaime Coelho.

Na segunda corrida, realizada no Domingo, Ivo Lopes voltou a vencer no final das 15 voltas realizadas, batendo novamente Pedro Nuno e Tiago Magalhães. André Pires foi também sempre o quarto classificado, cruzando a linha de meta na frente de Romeu Leite, um dos poucos que ganhou posições ao longo da corrida. Dani Trelles voltou a ser o melhor nas Superstock 600 na frente de Jaime Coelho.

 

Pré-moto3 e SSP300

No animado e jovem pelotão das Pré-Moto3 e SS 300 as corridas foram bem interessantes e decididas bem perto da bandeira de xadrez. Na qualificação os mais rápidos nas duas categorias, foram Daniel Bento e Pedro Fragoso. As reduzidas diferenças entre os três primeiros nas 300 antecipavam uma corrida animada, o que veio a confirmar-se, mas apenas na segunda corrida realizada pois na primeira volta de corrida, uma aparatosa queda de Daniel Bento forçou a ´saída’ da bandeira vermelha, retomando o duelo com oito voltas ao traçado mais tarde. Gonçalo Ribeiro venceu com 7 segundos e meio de vantagem sobre Tomás Alonso e Pedro Fragoso, estes a decidirem a vitória nas 300 a duas voltas do final quando Alonso passou Fragoso e venceu por escassas duas milésimas de segundo. Estes passaram igualmente Ivan Hernandez depois de um erro do espanhol que fechou a corrida em quinto, atrás de Vasco Esturrado. Ribeiro venceu assim nas Pré-Moto3 e Alonso nas 300, as primeiras vitórias do ano para ambos.

Moto4, Moto5, 85GP

Com Afonso Almeida nas Moto4 e Martim Marco nas Moto5 como os mais rápidos na qualificação, o pelotão dos mais jovens do campeonato viu novamente Almeida ser o mais forte nas Moto4, vencendo na frente de Naama Rosa, a melhor nas 85GP e Martim Marco, novamente o primeiro nas Moto5. Vitórias que aconteceram de forma quase ‘natural’ face ao anteriormente mostrado por qualquer um dos três, tendo Marco sido segundo durante a primeira parte da corrida, antes de ser ultrapassado pela rival de Loulé. Rafaela Peixoto e Diego Pazos foram quarta e quinto classificados.

Troféu ENI – Taça Luís Carreira, ZCUP e Tuono CUP

Com duas corridas na agenda, o vencedor na primeira contenda das ZCup foi Miguel Vilares com Paulo Vicente a fazer o mesmo entre os pilotos das Tuono Cup. João Curva foi o melhor entre os pilotos do Troféu ENI – Taça Luis Carreira, vencendo igualmente a corrida na geral e a classe Open, o mesmo se passando com Pedro Dias nas SBK e António Reis nas SS. Globalmente Duarte Amaral com a sua Aprilia foi o primeiro comandante da corrida até ser passado por Paulo Vicente na segunda volta. Mas na sexta volta era já João Curva o primeiro, posição que manteve até ao final das 10 voltas. Duarte Amaral ainda chegou a ser ‘apertado’ por Miguel Vilares, mas o piloto da Aprilia conseguiu mesmo o pódio face ao homem da ZCup.

A segunda corrida contou apenas com cinco voltas depois de uma bandeira vermelha ter parado a mesma quando estavam cumpridas cinco das dez voltas agendadas. No regresso foi Duarte Amaral – que era líder aquando da interrupção – quem venceu na geral depois de ser mais uma vez o melhor na primeira volta antes da chegada de João Curva ao primeiro posto. Este parecia preparar a vitória global do dia anterior mas foi batido pelo rival e depois da corrida seria mesmo desclassificado. Amaral foi o melhor face a Anselmo Vilardebo e Pavel Bogdanov na classificação geral, cabendo a Paulo Vicente a vitória nas ZCup, Albert Vismaier nas Open do Troféu ENI – Tala Luis Carreira, Pedro Dias nas SBK e António Reis nas SS.

Copa Dunlop Motoval

Na Copa Dunlop Motoval as vitórias foram para Ricardo Silva e Christophe Lajouanie na primeira corrida, posições que foram repetidas nas segunda corrida desta categoria destinada aos pilotos com menos experiência no campeonato.

A próxima ronda do campeonato será novamente realizada no Circuito do Estoril nos dias 18 e 19 de Julho.

Resultados completos AQUI.