Teste Yamaha XSR900 – Tradição e simplicidade

Viajámos até à Sardenha para ficar a conhecer a nova Yamaha XSR900, a “sport heritage” que se renova focando-se na história desportiva da marca japonesa.

Yamaha XSR900

A Yamaha quer manter-se no topo do segmento destinado às motos que nos apelam aos anos de glória do motociclismo no século passado. E a nova geração da Yamaha XSR900 – clique aqui para ver esta novidade em detalhe – é precisamente uma moto que se insere numa estratégia da casa de Iwata em focar-se na sua história desportiva.

O nosso jornalista Marcos Leal viajou para a ilha da Sardenha, onde testou, em exclusivo nacional, a nova XSR900. Veja mais abaixo o nosso teste em vídeo a esta novidade “sport heritage” da Yamaha.

E o que tem mesmo de saber sobre a nova Yamaha XSR900?

Uma das grandes novidades é a introdução de um novo quadro dupla trave em alumínio. Os engenheiros de chassis da marca redefiniram profundamente a geometria desta estrutura. A coluna de direção está 30 mm mais baixa, deixando o condutor numa posição de condução mais desportiva, mas sempre mantendo o assento praticamente em cima da roda traseira. Por outro lado, o braço oscilante 55 mm mais longo garante mais tração. Ideal para aproveitar a maior performance do motor.

A unidade motriz instalada na nova Yamaha XSR900 tem mais cilindrada e atinge agora os 889 cc fruto de um curso dos pistões que é 3 mm mais longo. A potência subiu para 119 cv e o binário anunciado é de 96 Nm, estando disponível mais abaixo na gama de rotações em comparação com a geração anterior.

Com mais e melhor eletrónica, sistema de travagem de melhor especificação cortesia da bomba de travão dianteiro da Brembo, e um design que ganha uma imagem bem especial graças à pintura Legend Blue, a Yamaha XSR900 revela-se numa moto mais simples e um claro acenar à tradição dos modelos de competição da Yamaha como as motos da Sonauto pilotadas por Christian Sarron.

Vídeo – Teste Yamaha XSR900: Tradição e simplicidade