Em ano de particular relevância histórica, assinalando duas décadas de existência, o Portugal de Lés-a-Lés promete bater, uma vez mais, recordes de adesão e de novidades.

As inscrições para o evento da Federação de Motociclismo de Portugal, em www.les-a-les.com, têm prazo de encerramento marcado para 30 de Abril, mas vão fechar mais cedo, estando praticamente esgotado o limite de 1500 participantes. Aventura mototurística cada vez mais internacional que, de 30 de Maio a 2 de Junho vai ligar Faro a Felgueiras, com paragens em Portalegre e Lamego, ao longo de 1160 quilómetros de descoberta e aventura, de paisagens deslumbrantes e riquíssimo património histórico.

A começar pelo prólogo no concelho farense e continuando na 1ª etapa, nos 420 km entre a capital algarvia e Portalegre, a mais longa jornada com as estradas mais rápidas e, talvez, a mais bonita de todo o Lés-a-Lés. Sobretudo a concretizar-se a possibilidade de encontrar as paisagens alentejanas ‘vestidas’ de verde, algo extremamente raro atendendo à data tradicional do longo passeio motociclístico e que poderá ser tornado possível por uma primavera muito chuvosa. E com a vantagem de as excelentes estradas ao longo de herdades, montados e azinhais, proporcionarem o conforto para ritmos bem turísticos, permitindo apreciar a travessia e a natureza envolvente da melhor forma.

Dia que será de verdadeiro festival de rapinas nos ares, observando falcões, milhafres e muitas espécies de águias, mas também aldeias impecavelmente pintadas como nas quatro freguesias de Monforte onde entre as visitas ao muito património existente, incluindo as ruínas do Monumento Nacional da Villa Romana de Torre de Palma e ao Centro de Interpretação Tauromáquico, haverá tempo para um agradável lanche. A visita, com o pormenor possível, a vários centros históricos alentejanos será acompanhada de interessantes receções onde os ‘sabores da terra’ não passarão despercebidos na tirada que se despede do mar em Faro, se diverte na serra algarvia e vai subindo no mapa nacional até Portalegre. Pelo caminho, tempo para desfrutar de dois Parques Naturais, do Vale do Guadiana e da Serra de São Mamede, com inédita visão do Pulo do Lobo, onde o prazenteiro e largo Guadiana se despenha furiosamente numa fenda de 3 metros de largura e 16 de altura. E que, pela primeira vez na história do Lés-a-Lés, será abordado pelo lado oeste, aquele que permite que as motos cheguem bem próximo da gargante rochosa onde se forma a cascata que José Saramago descreveu de forma genial na coletânea de crónicas ‘Viagem a Portugal’.

Verdadeira pérola que não pode ser ‘perdida’ por qualquer erro ou distração, sobretudo por aqueles que não se sentem à vontade na leitura do ‘road-book’ ou que, simplesmente, não querem sair do melhor rumo. Para esses, como para o crescente número de motociclistas estrangeiros, a FMP preparou nova modalidade de participação, de valor acrescentado, criando grupos de 10 motos que serão acompanhados por dois guias, dispensando preocupações para encontrar o caminho certo. Opção que deverá ser feita na altura da inscrição ‘online’ ou de forma presencial na sede da Federação de Motociclismo de Portugal, no Largo Vitorino Damásio, 3C, pavilhão 1, em Lisboa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here